MACAL... A História

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

MACAL... A História

Mensagem por Ezra em Seg 06 Abr 2009, 17:31

Macal

A Macal foi uma das maiores empresas de construção de motorizadas do país. Apesar do imenso sucesso conquistado principalmente nas décadas de 1970 e 80 a partir da década seguinte, com a forte concorrência estrangeira e outros factores, a empresa foi decaindo até encerrar. A Macal adoptou, à semelhança de outros construtores, motores construídos no estrangeiro, entre eles os da marca sueca Husqvarna .

A Macal foi fundada em 1921 por Manuel Caetano Henriques.

Posteriormente, e com a ajuda da esposa Rosa de Oliveira Batista, do filho mais velho Fernando de Oliveira Caetano e ainda de alguns aprendizes, começou a fabricar componentes para bicicletas.

A empresa foi crescendo, e foi necessário admitir mais funcionários, assim como realizar novas instalações fabris.

Por volta de 1955, Manuel Caetano, formou definitivamente a firma M. Caetano Henriques e Cª. LDA., "oferecendo" sociedade a alguns dos seus primeiros aprendizes. Desses aprendizes, constavam os nomes de António Marques Miranda, Ernesto Ferreira de Oliveira, José Mota, para além do seu filho Samuel de Oliveira Caetano.

Devido a divergências entre o seu filho Samuel e António Miranda, Manuel Caetano, juntamente com a familia Graça e com Miguel de Almeida e Silva (genro), fundam a firma Sociedade Comercial do Vouga.

Nos finais da década de 50, deu-se a entrada de uma pessoa que com a sua experiência ajudaria a Macal a entrar no ramo do Motociclismo. Entrou para a sociedade, Isaac de Oliveira Caetano( filho mais novo de Manuel Caetano Henriques) e ex. Campeão Nacional de Motociclismo na classe de 350cc.

Isaac Caetano, correu aos comandos de uma BSA Gold Star 350cc.

Nessa altura, iniciou-se o fabrico de componentes para ciclomotores.

Em 1957, morreu Manuel Caetano Henriques, desaparecendo assim o Homem que deu o nome e fundou a marca.

Na década de 60, Isaac de Oliveira Caetano, iniciou o desenvolvimento de ciclomotores próprios, surgindo assim os primeiros Ciclomotores Macal.

Isaac Caetano, com os conhecimentos adquiridos com as motos Inglesas com que correu (BSA e Norton), desenvolveu todos os Ciclomotores Macal, utilizando tecnologia Inglesa.

Nessa altura, tudo era realizado nas instalações fabris da Macal, como por exemplo: quadros, suspensões, guiadores, parafusos, escapes, etc...

Das mãos de Isaac Caetano, sairam modelos que ajudaram à notoriedade da marca. Esses modelos foram : Clipper; Vanguard; M50 e M50 modelo Algarve; Vanguard H4 (com motor Honda a 4 tempos e 4 velocidades); M70 e M70 H5 (motor Honda a 4 tempos e 5 velocidades); Husky (com rodas 12' e com motor Casal de 2 velocidades); GTX/Sport Especial (com quadro inspirado na escola Italiana SWM); M80( evolução do modelo GTX/Sport Especial); M70 DS; Porsche GT; 2100; Cross competição; Marisa; assim como toda a gama Minor, nos modelos de Senhora e Homem.

No final da década de 60, entrou para a sociedade Querubim Branco, que juntamente com Isaac Caetano, António Marques Miranda, Ernesto Oliveira e Artur Marques Gomes, começaram a mudar o rumo da empresa.

Iniciou-se a representação para Portugal da linha de floresta da Husqvarna.

Foi criada a Ciclo Órbita, juntamente com a Sociedade Comercial do Vouga e com a Miralago.

Na década de 70, a Macal iniciou a produção de cubos para as rodas dos seus veículos. Os cubos eram fundidos na Sonafi (Sofi) e maquinados na Macal.

Este modelo de cubo, foi posteriormente fornecido à SIS-Sachs para equipar o famoso modelo V5.

No final da década de 70, a Macal iniciou uma parceria com as firmas Catalãs Nagesti e Akront, para o desenvolvimento de uma jante especial em aluminio totalmente desmontável.

Posteriormente, este tipo de jante passou a ser totalmente fabricada em Portugal, cessando a sua produção quando a Metalurgia Casal fechou, já que as ultimas séries de aros foram produzidas nesta empresa.

Na década de 80, graças ao aumento de produção (cerca de 90 unidades por dia), foi necessário aumentar as instalações e admitir mais funcionários.

Com a construção de um pavilhão novo, nasceu a Macal Husquevarna, nascendo assim uma nova equipa de pesquisa e desenvolvimento formada por Isaac Caetano, Eugénio de Almeida (ex. Honda, Suzuki, Confersil e Sirla), Engenheiro Trigueiro Lobo (ex. SIS-Sachs e Forvel), Rosário Martins (ex. SIS-Sachs).

Desta equipa nasceram os modelos: TR50 (evolução do modelo M80); TT50(evolução do modelo Sport Especial); Cross Competição II; Trail I e Trail II; M86.

Na década de 80, verificou-se a entrada dos motores Minarelli ( linha de montagem na foto), na gama de modelos da Macal. Até essa altura, a Macal usava motores Casal( 2, 4 , 5 e 6 velocidades), Zundapp ( 4 e 5 velocidades) e Sachs (5 velocidades).

Acontece que todos os anos, os fabricantes nacionais de motores (Casal, Famel e SIS) subiam os preços dos motores, acordando entre eles que subiriam o preço das motorizadas em função da subida do preço dos motores. Esta medida fazia com que as marcas nacionais não produtoras de motores(conhecidos por montadores), casos da Macal, EFS, Sirla, entre outros, pudessem ter preços competitivos.

O problema desta medida é que nunca era cumprida, já que os fabricantes nacionais de motores (Casal, Famel e SIS), suportavam o aumento do custo das matérias primas com a diferença de preços praticada pela venda de motores aos montadores (Macal, EFS,Confersil, Sirla, etc), criando grandes problemas aos sectores comerciais destas empresas.

A EFS, aborrecida com esta situação, decide começar a comprar motores Kreidler, Puch e Minarelli.

A Macal, por sua vez, tentou fazer um acordo com com a firma Espanhola Derbi, mas chegou rapidamente à conclusão que o motor Derbi não era apropriado para o mercado nacional.

Assim, Querubim Branco, que chefiava o sector comercial da Macal, teve de continuar a vender Ciclomotores equipados com motores produzidos em Portugal. O motor Sachs era usado em 50% dos modelos da Macal, o motor Zundapp em 25% dos modelos, e o motor Casal era também usado em 25% dos modelos.

Entretanto, a EFS começava a ter graves problemas económicos, logo após a morte de Ernesto Sucena.

Ernesto Caetano, que entretanto começara a trabalhar na Macal, teve conhecimento dos problemas económicos da EFS, ficando a saber que a EFS não iria comprar mais motores Minarelli.

Perspectivando um bom negócio, Ernesto Caetano pressionou Querubim Branco para que este contactasse a Motori Minarelli. Só que Querubim Branco, com má impressão dos motores Italianos, decide não contactar.

Apesar deste revés, Ernesto Caetano não desistiu da sua ideia e pediu a Isaac Caetano e ao Engenheiro Trigueiro Lobo que contactassem a Motori Minarelli na Feira Bienal de Colónia, evento que os dois iriam visitar.

O referido contacto aconteceu, e nasceu uma parceria bastante forte entre a Macal e a Motori Minarelli (Arteno venturi e Carlo Trenti na foto).

Estava então resolvido o problema da Macal......

A titulo de curiosidade, refira-se que usualmente chamam aos Ciclomotores Macal; Ciclomotores Minarelli. O facto é que esta troca de nomes, é um rotundo erro, pois nem a própria Motori Minarelli quis que os motores equipados nos Ciclomotores Macal, tivessem a marca Minarelli. Numa primeira fase, os motores foram apelidados de motores Macal Minarelli e posteriormente só Macal.

Na década de 90, influênciada pelas novas tendências, a Macal criou a gama Scooter.

Inicialmente importou de Taiwan modelos da Herchee, rebatizando-os Macal. Posteriormente fabricou scooteres na sua totalidade (quadro, selim, escape, guiador, alguns plásticos, etc)

Estes novos modelos de Scooter, utilizavam os novos motores Yamaha/ Minarelli modelos CY50 e MY50, herdando também o seu nome.

Estes veículos foram todos desenvolvidos por Isaac Caetano e pelo Engenheiro Trigueiro Lobo, apesar de Eugénio Almeida ainda ter colaborado na realização de protótipos da Scooter CY50.

Também nessa altura, a Motori Minarelli deixou de produzir a gama de motores "P"(P4; P6; RV4/6), deixando a Macal numa situação bastante delicada.

Aos responsáveis pela Macal, só restavam duas hipoteses. Ou optavam pela montagem dos motores AM3/4/5, que iria provocar alterações radicais ao nivel do acopolamento desse motor ao quadro, ou continuavam a usar a gama de motores P4/6 e RV4/6 mas com fabrico próprio.

Assim, a Motori Minarelli cedeu os moldes e todo o apoio técnico quase a custo zero e a Macal produziu para si e para outros clientes o motor Minarelli.

Tendo necessidade de expandir os seus negócios, Isaac Caetano, Ernesto Caetano e o Engenheiro Trigueiro Lobo( Macal), assim como o Sr. António Silva (sócio da SIM, Sociedade Irmãos Miranda), deslocaram-se à Eslováquia, país onde o Sr. António Silva tinha bons contactos, a fim de verificarem a hipótese do fabrico de alguns componentes para os motores.

Posteriormente, seriam finalizados numa nova unidade fabril realizada por capitais da Macal e da SIM.

O processo esteve bastante avançado, mas começou-se a adivinhar problemas com o sector, e o projecto foi abandonado.

Foi então que, em Agosto de 1997, a Macal Husquevarna teve problemas com um cliente nacional, assim como com um cliente Italiano, levando a firma Macal Husquevarna ao encerramento....

A firma M. Caetano, transformada em S.A. no início de 2001, devido à má gerência da primeira administração, aliada à profunda crise Europeia do sector, inviabilizou a sua recuperação .

Os ultimos veículos produzidos foram os ciclomotores modelo M83 AM6 K5 H2o, e os Ciclomotores de Moto-cross Infantis, exclusivos para a firma Catalã de Motos (Macbor) Bordoy.

As Macal/ Macbor foram desenvolvidas por Ernesto Caetano e Alex Llobet, e intensamente testadas em Portugal por André Caetano.

Ainda durante esse periodo, a firma M.Caetano e C.ª S.A., produziu os quadros dos Motociclos AJP, assim como produziu e montou as ultimas trinta e uma séries de Bugas( Bicicletas de Utilização Gratuita de Aveiro).

Infelizmente, esta firma acaba também por fechar as suas portas em Maio de 2004.

_________________
Uma vez fiz uma dieta , onde deixei de beber e em 14 dias perdi 2 semanas .

Em hebraico Ezra ( עֶזְרָא ,abreviação de עַזְרִיאֵל "Aquele que ajuda, Ajudador, Auxiliador)
avatar
Ezra
WEB-Lanzeira GURU
WEB-Lanzeira GURU

Número de Mensagens : 580
Idade : 42
Localização : No 2º maior País da Peninsula Iberica
Tens Moto? : Já tive
Reputação : 25
Data de inscrição : 23/02/2009

http://www.psarts.bravehost.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MACAL... A História

Mensagem por EduMCABiker em Seg 06 Abr 2009, 21:30

M-Muita
A-Amizade
C-Com
A-Amigos
L-Lanzeiras

_________________
Abraço

L & R
Eduardo
M.C. Alentejano - Oeste
avatar
EduMCABiker
WEB-Lanzeira GURU
WEB-Lanzeira GURU

Número de Mensagens : 974
Idade : 48
Localização : Alcobaça | Lisboa
Tens Moto? : Sim
Marca/Modelo : HD Night Train | Virago 535
Reputação : 14
Data de inscrição : 13/03/2009

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MACAL... A História

Mensagem por Ezra em Seg 06 Abr 2009, 21:34

Bonito trocadilho....hehehehehhe

_________________
Uma vez fiz uma dieta , onde deixei de beber e em 14 dias perdi 2 semanas .

Em hebraico Ezra ( עֶזְרָא ,abreviação de עַזְרִיאֵל "Aquele que ajuda, Ajudador, Auxiliador)
avatar
Ezra
WEB-Lanzeira GURU
WEB-Lanzeira GURU

Número de Mensagens : 580
Idade : 42
Localização : No 2º maior País da Peninsula Iberica
Tens Moto? : Já tive
Reputação : 25
Data de inscrição : 23/02/2009

http://www.psarts.bravehost.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: MACAL... A História

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum